O fim do tempo de reflexão …


Olá a todos !

Provavelmente devem achar estranho eu não ter postado nada desde há algum tempo, como tinha prometido. Aos que visitam regularmente o meu blog, as minhas sinceras desculpas!
O que vos posso entender é que desde a última postagem, eu submeti-me a um período de catarse, quase completa, daí ter preferido o silêncio como a forma de comunicação mais eficiente para convosco.

Para quem não sabe, as minhas últimas experiências em congressos internacionais foi bastante marcante! Aprendi bastante, especialmente no que toca à exposição do meu trabalho. Também aprendi que na Matemática, o segredo é a alma do negócio e que no que consta à descoberta de novos resultados, devemos ser pacientes e consequentes.

Este é o exemplo de Grisha Perelmann que teve paciência para provar uma conjectura com mais de 100 anos (Conjectura de Poincaré!). Mas o grande exemplo que este senhor me deu (e talvez tivesse dado a todos os Matemáticos que estiveram presentes no ICM2006) foi a sua atitude altruísta em recusar o prémio. Para quem não sabe, a medalha fields é o expoente máximo da carreira de um matemático e significa notoriedade. É mais que óbvio que a maioria dos mortais não iria recusar tal louvada distinção.

Durante vários dias questionei-me qual o meu objectivo na matemática!
“Será que ando aqui para ganhar dinheiro? Será que quero ser famoso? “

Embora não se acreditem, o melhor prémio que me podem dar é o reconhecimento da seriedade do meu trabalho.
Uma pequena prova já foi dada quando tive em Weimar em Julho a quando da apresentação da minha palestra no congresso IKM2006 e quando dei na semana seguinte um seminário na universidade de Bauhaus, Weimar.

Se até aqui, a pessoa com que actualmente trabalho não me levava a sério, depois disso eu fui tomado em conta quanto à seriedade do meu trabalho.

Um dos meus males é que tenho alguns pequenos “defeitos”:

1) Sou ambicioso
[Para Português, é um grande defeito pois todos as pessoas em meu redor gostam de fazer papel de coitadinhas. A minha ambição é confundida com vaidade (i.e. “seu convencido!”)]

2) Sou empreendedor
[Este meu “defeito” faz com que eu tenha sempre a minha secretária cheia de trabalhos. Muitos coitadinhos pensam que podem fazer de mim o seu “escravo” pessoal. Que eu sou “escravo” de alguém, é mais que claro pois há sempre uma hierarquia. O que muitos se esquecem é que “escravos” de luxo têm um preço. E esse preço é elevado! ]

3) Sou directo
[A maior parte confunde ser directo em ser arrogante! Mas todos os coitadinhos não sabem distinguir o ser directo de ser arrogante!]

4) Sou (e serei sempre) um outsider
[Muitas das pessoas tentam ignorar que eu existo e que eu nunca conseguirei singrar de modo honesto na vida. Pensam que sou apenas mais um. É bom que aprendamos a ver o mundo que nos rodeia e que saibamos respeitar os nossos adversários se queremos que eles nos respeitem a nós! Por isso respeitem se querem ser respeitados e oiçam se querem ser ouvidos.
Aprendam a competir com fair play e nunca tornem essa competição numa doença. Acabarão por morrer!]

Acima de tudo, respeitem as ideias dos outros e deixem ser felizes os que buscam a felicidade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s