Serviço Público III: Biblioteca Universidade Aveiro


Há uns tempos atrás fui à biblioteca da minha universidade consultar alguns livros.
É sempre bom passear por um lugar que muito me diz, pois foi aqui que passei grande parte do meu tempo de estudo enquanto aluno de licenciatura.
Munido da minha máquina fotográfica, decidi vestir a pele de turista, disparando com a objectiva em todas as direcções como se esta fosse a minha primeira visita a este local.
Como resultado final desta visita, resultou um leque de fotografias interessantes. Preferia não ter registado algumas delas, no entanto não consegui ficar indiferente ao estado de degradação em esta se encontra. Para dar o mote, escolhi para banda sonora Lacrimosa, de Mozart.

Antes de continuarem a ver este post, recomendo que oiçam esta música. Para tal, basta clicarem com o cursor do rato no botão verde.








Espero que tenham gostado da música, mas acima de tudo, espero que não tenham ficado indiferentes a esta realidade.

PS: Se não fosse pedir muito, gostaria de saber a vossa opinião. Para isso deixem um comentário neste post. Caso não se queiram identificar, podem comentar como “Anónimo”.

6 thoughts on “Serviço Público III: Biblioteca Universidade Aveiro

  1. De à alguns tempos para cá tenho visto esse tipo de degradação o que viste está no último piso ao fundo perto das escadas. Penso que o problema de fundo é mais grave do que viste, à vários anos que aquele local tem sido atacado pelas infiltrações. Agora parece-me que devem ter chegado à conclusão de que terão de reparar o telhado por completo.

    Como sabemos o governo cortou os fundos às universidades e consequentemente estamos a ver aos poucos uma completa falta de objectivismo de gestão na universidade. Também há salas de estudo da bibliotecas onde não se consegue abrir as janelas com o calor, e no nosso departamento já não há segurança porque a reitoria não tem dinheiro.

    Mas o pior será que alguns que julgavam que tinham a faca e o queijo na mão vão ser afectados, a reitora quer 1 professor para 18 alunos na universidade e assim professores têem que se despedidos.

  2. Eu sabia que os ratos tinham de dormir em algum lado, mas nunca pensei que fosse na biblioteca da UA.
    Sinceramente buracos não é coisa que me incomode muito porque na verdade eu raramente olho para os cantos das casas, no entanto com a quantidade de livros muitos de valor inestimável ali ao pé das ratazanas é um bocado merdoso!
    Acho que os gajos já tinham vergonha na cara e restauravam essa merda.
    Nao sei para que é que pagamos propinas…
    Tristeza…

  3. o amigo bob:

    Já sabia do problema há bastante tempo. Se bem me lembro, já no ano em que entrei na universidade em 2000/2001, o problema das infiltrações já era do conhecimento de todos.
    Quanto ao corte dos fundos para as universidades, isso dava para escrever um outro post. No entanto convém lembrar que os departamentos da UA são despesistas. Caso não saibas, mais de metade do orçamento do DMAT é gasto em licenças de campus software (Já se usava LINUX, não?). Isto já vem a ser a praticado de há uns anos para cá. A diferença é que agora despesas relacionadas com luz e telefone (antes suportadas pela reitoria) têm agora de ser pagas pelos departamentos.

    balhau: Eu também raramente olho para os cantos das casas.
    No entanto para pessoas que precisam de umas valentes dioptrias para verem ao perto, conseguem a olho nú ver aquelas crateras que se encontram no tecto.

    “Acho que os gajos já tinham vergonha na cara e restauravam essa merda.
    Nao sei para que é que pagamos propinas…”

    Parte-se do princípio que um aluno que pague as suas propinas tenha direito de usufruir de todas as regalias, entre as quais se inclui o uso do espaço biblioteca. E como contribuinte, cada um dos alunos está no pleno direito de exigir um espaço com condições mínimas para pesquisar/estudar.
    Pelo que eu percebi, o dinheiro das propinas é utilizado para gastar em coisas inúteis tais como aquelas estátuas de madeira que se encontram na reitoria.

  4. Por falar em despesismo, quando abriu a Reitoria nova … vi aquele ecran plasma … Cum carago !!!

    Naquela altura eles não custavam 600 euros era mais na ordem dos 2000 euros !!!

  5. o amigo bob: Quando decidires ir lanchar/tomar café, recomendo-te vivamente a passares ires ao bar da reitoria!
    Quando chegares lá, vais ter uma agradável surpresa!!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s