Declarações de José Saramago: O comentário que faltava


No passado dia 15, Saramago deu uma entrevista no DN em que defendia a ideia de transformar Portugal numa provincia de Espanha. E o que é melhor é que Espanha podia mudar de nome para Iberia para não ofender o “brio” dos portugueses. A conclusão que eu tiro disto é que a idade é cruel para certas pessoas. Penso que isto não é alzheimer nem sequer Parkinson, é uma doença nova que se pode vir a chamar Saramaginson e que afecta indíviduos que a certa altura da vida receberam um prémio, vivem fora do país de origem, acreditam que o comunismo é viável e que admiram ditadores.

«Já temos a Andaluzia, a Catalunha, o País Basco, a Galiza, Castilla La Mancha e tínhamos Portugal»
Ao ler esta frase não ficam dúvidas de que Saramago fala como se já fosse espanhol. Esta é já uma fase avançada da doença, em que o paciente acredita que pode anexar países dando depois outros nomes. Um caso conhecido foi o de Hitler, que disse para a empregada: “Já temos a Polónia, a Bélgica e a Holanda, agora estamos a pensar na província de França. Se calhar vamos chamar isto de Hitlerlandia um dia”.

«Provavelmente [Espanha] teria de mudar de nome e passar a chamar-se Ibéria. Se Espanha ofende os nossos brios, era uma questão a negociar»
E porque não passar a chamar-se Tap? ou Portugália? Era uma questão de negociar.

Saramago disse que os portugueses compreenderiam a mudança, «não é uma cedência nem acabar com um país, continuaria de outra maneira. (…) Não se deixaria de falar, de pensar e sentir em português».
Claro que não é acabar com um país. Se passarmos a ser uma província espanhola faz todo o sentido continuarem a considerar-nos um país. Quem deve ficar contente são os artistas internacionais que cá vêm e começam os espectáculos com “Buenas noches Espana”, assim já não são gozados pelos portug… Ibéricos.

Se o Saramago está tão preocupado com o nosso país e com o bem estar dos portugueses porque não começa com coisas mais pequenas, como pedir a integração do Partido Comunista no Partido Socialista ou Bloco de Esquerda? Ou então porque não fica sossegado e calado junto dos seus amigos espanhois em Lanzarote? Para nos desenvolvermos ou recuperarmos da crise a solução é a união com Espanha? Então não é mais fácil os portugueses começarem a ter uma atitude mais dinâmica em vez de andarem a queixar-se e deixarem este país ser governado por corruptos e incompetentes? Se o jornal chinês que deu a notícia de que 50% dos portugueses concorda com esta ideia está a dizer a verdade, então o melhor é que estes 50% se mudem para Espanha. O espaço que eles iriam deixar dava-nos jeito.

5 thoughts on “Declarações de José Saramago: O comentário que faltava

  1. Muito bem argumentado. Gostei. Realmente as pessoas só porque, em certo momento, foram premiadas por alguma das suas qualidades (designadas assim por um conjunto de pessoas e não necessariamente por uma opinião geral) devem também ter a humildade de pensar várias vezes antes de falar. Principalmente pela importância que têm perante uma sociedade. As suas palavras/acções devem ser reflectidas. Mas todos somos humanos e equivovar-nos está-nos intrínseco.

  2. Caro anónimo:

    O que se coloca no caso de José Saramago não é o comentário em si mas a sua falta de ingratidão para com o país onde nasceu.

    Infelizmente o caso de Saramago não é único. Existem pessoas que nasceram de pé rapado num sítio algures no Portugal profundo que tiveram a felicidade de subir na vida. Só que no entanto são ingratos para com o lugar onde nasceram ao ponto de terem vergonha de falarem sobre ele.
    Infelizmente conheço muitas assim, mas adiante …

    De qualquer modo, obrigado pelo comentário Sr/Sra (?) Anónimo😉

  3. Se o Saramago está tão preocupado em falar de Portugal então porque é que não o diz cá no país dele ? Porque é que tem uma atitude de cobarde a cuspir para o ar ? Um dia o cuspe pode cair em cima dele …

  4. Não cai nem caiu porque Portugal é, verdadeiramente, um país de gente com cerejas no lugar de tomates (ou com tomates-cereja).

    Morreu e é tratado como um herói com direito a Panteão Nacional e Fundação instalada em monumento Nacional. Que mais se pode querer?

    Noutro país qualquer a a sério ser-lhe-ia retirada a nacionalidade só pelas palavras de alta-traição que enunciou.

  5. Acho que nenhum de vocês entendeu o paniberismo de Saramago, que reflete o universalismo que sempre o caracterizou. Seus pensamentos estão muito à frente de nossa época, repleta de bairrismos e nacionalismos hipócritas, disfarçados de patriotismo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s